(11) 5087-8861 | secretaria1@anfarlog.org.br

28 ago 2017

A logística do crescimento

O setor brasileiro de logística sofreu os efeitos negativos, como todos os setores da economia, do período conturbado que o país atravessou. Especialistas falavam de uma “tempestade perfeita” – crise política, econômica e institucional. A boa notícia é que os primeiros sinais de retomada já aparecem. Inflação em queda, cortes nas taxas de juros e reformas em discussão nos fazem crer que a economia deve voltar a crescer.  Independentemente do cenário econômico, trabalhar continuamente para aprimorar os processos dentro de uma empresa é sempre a melhor receita para se destacar no mercado.

Empresas comprometidas com o desenvolvimento precisam estar sempre preparadas. O país apresenta um campo enorme para melhoria de sua logística e as empresas que demandam condomínios logísticos “padrão A” buscam qualidade, redução dos custos e acesso fácil a rodovias e aeroportos, condições fundamentais para serviços de distribuição eficientes. Para isso, são necessários parceiros que façam investimentos contínuos para atender a demanda de setores como o farmacêutico, que representa hoje 7% da área locada da GLP no Brasil.

Esse segmento da economia demanda instalações logísticas que garantam a qualidade do produto e requisitos adicionais de segurança, por se tratar de mercadorias de alto valor agregado. É importante manter os produtos armazenados em conformidade com a regulamentação da Anvisa e outros órgãos reguladores, o que muitas vezes requer a implementação de um sistema de climatização, com câmaras frias e túneis de congelamento, tratamento especial nas coberturas e fachadas para proteger os produtos da iluminação natural no local de armazenagem e um sistema de vedação das docas para manter a temperatura controlada.

Embora a taxa de vacância nacional continue elevada, em torno de 25%, o potencial de crescimento do setor de instalações logísticas no Brasil ainda é grande. O espaço logístico per capita no Brasil é cerca de 15 vezes menor do que o dos  Estados Unidos e muitas empresas ainda operam em instalações antigas, que não atendem aos requisitos de uma  operação logística moderna. Os centros logísticos de altíssimo padrão representam apenas 23% do estoque total, muito pouco comparado ao tamanho do mercado de consumo brasileiro. Essa busca por qualidade não é uma tendência apenas por aqui e pode ser observada em países como China, Estados Unidos e Japão, onde as empresas também procuram estruturas modernas.

É importante destacar os ganhos de eficiência que uma estrutura adequada pode gerar. Um condomínio com pé-direito de 12 metros potencializa a verticalização do estoque e uma eficiência de 90% da área bruta locável reduz o custo de armazenagem por pallet. A utilização de luzes LED, por exemplo, pode proporcionar economia de até 70% se comparadas a luzes de vapor metálico. Outras ações de sustentabilidade, como reuso da água e iluminação natural também contribuem de maneira significativa para a redução de custos e eficiência nas operações logísticas.

O segmento de logística é peça-chave para o crescimento sustentável da nossa economia. Não devemos confundir cautela e planejamento com estagnação. Planos e metas para os próximos anos devem ser traçados com foco na redução do custo operacional. Acreditamos nisso e estamos preparados para expandir nossa oferta de instalações logísticas modernas com foco em eficiência para atender a todos os segmentos do mercado.

Mauro Dias é presidente da GLP Brasil

Pular para a barra de ferramentas