(11) 5087-8861 | secretaria1@anfarlog.org.br

12 set 2018

O Impacto da Terceirização no Cenário Farmacêutico.

/
Posted By

A terceirização não é mais uma tendência, mas sim um fato.

O cenário externo muda constantemente, e as empresas que lidam com medicamentos precisam estar atentas às constantes mudanças em legislações, não somente sanitárias, mas em todas as áreas.

Em termos sanitários, com a publicação da RDC nº 234 de 20/06/2018, ficaram muito mais claras as regras para terceirização e responsabilidades das partes. Com ela surgiram novos modelos para a logística farmacêutica, como a possibilidade de uma subcontratação de uma transportadora por outra.

Para quem acompanha o que acontece no âmbito político, após a reforma do trabalho foi aprovada a lei Nº 13.429 sobre a terceirização em 31/03/2017, e foi concluído recentemente pelo STF que toda atividade, incluindo a atividade fim, pode ser terceirizada.

O que se torna mais importante nessas mudanças atuais é como a empresa, falando de farmacêutica, gerencia as empresas terceirizadas.

Primeiramente, é de suma importância separar quais empresas terceirizadas prestam serviços que impactam na qualidade do medicamento.

Para essas, deverão ser implementados processos que visam gerenciar com governança, aplicando ferramentas para monitoramento e melhoria contínua, desde o início de um contrato até seu encerramento.

Para que haja uma complementação bem detalhada sobre as responsabilidades em termos de qualidade dentro da operação em questão, é importante que um acordo técnico seja bem definido entre as partes.

Internamente, em cada empresa, saber discutir as questões técnicas, não é apenas uma função do farmacêutico ou dos profissionais da área de qualidade, mas sim de todos os envolvidos no ciclo contratual, no entanto, a qualidade precisa conhecer e se adaptar às discussões e tomadas de decisões que envolvem melhorias não somente para a qualidade do medicamento, mas também para ganhos junto ao negócio.

Saber gerir uma equipe multidisciplinar e os resultados dessas ações sempre deverá trazer bons indicadores de performance no âmbito operacional, qualidade, financeiro, dentre outros.

No âmbito externo, essa gestão pode levar as partes a uma parceria forte e duradoura.

Por fim, visualizar esse cenário como um leque vasto de oportunidades, como dito, pode trazer muitos benefícios para uma empresa farmacêutica, principalmente na logística, no intuito de superar outros impactantes. Quem tiver a visão se sobressairá nessa nova fase.

 

Fernanda Batista da Silva

Fundadora da empresa FFarma Consultoria em Qualidade Farmacêutica na Cadeia Logística

*errata: “a possibilidade de uma distribuidora vender para outra, o que somente deveria adquirir do detentor do registro” está na discussão da consulta pública da Portaria nº802/98.

Pular para a barra de ferramentas